in

12,000 leões estão a ser criados em cativeiro para serem abatidos por turistas na África do Sul

Um novo livro, acompanhado até por um filme, vem revelar o chocante e triste mundo da indústria da caça em África, onde milhares de leões são criados em cativeiro para serem posteriormente abatidos por turistas. Lord Ashcroft aborda estes problemas no seu novo livro, intitulado Unfair Game: An Exposé Of South Africa’s Captive-Bred Lion Industry, depois de ter iniciado uma investigação acerca da forma como muitos destes leões são abatidos, seja por uma questão de troca de ossos ou devido aos conhecidos trophy hunters.

BETANO OFERTA 5€ GRÁTIS

Num excerto do livro, publicado pelo Daily Mail, Ashcroft explicou que existem cerca de 12,000 leões a serem criados em cativeiro na África do Sul – um número quatro vezes superior ao número de leões selvagens.

“Não é exagero dizer que o abuso de leões na África do Sul se tornou numa indústria”, disse Ashcroft. “Milhares deles são criados em quintas anualmente; eles são afastados das suas mães com apenas dias de vida e são muito utilizados no sector do turismo, seja para serem abatidos por diversão ou pelos seus ossos e outras partes do corpo, que são bastante valiosas em alguns mercados asiáticos”, completou.

“Entre isto, eles são mal alimentados, mantidos num espaço pequeno e sem quaisquer condições de higiene”, disse.

“A minha investigação sugere que existem cerca de 12,000 leões a ser criados em cativeiro na África do Sul, sendo que a população de leões selvagens ronda os 3,000. E graças à constituição e leis da África do Sul, toda a gente pode fazer o que quer neste sentido”, concluiu.

O objectivo do filantropo é mesmo o de abolir esta prática no país.

Muito, muito triste.