4 em cada 10 homens de zonas rurais fazem sexo com animais

4 em cada 10 homens de zonas rurais fazem sexo com animais

Um estudo realizado por um médico do Hospital A. C. Camargo constatou, de forma insólita, que em 10 homens que habitam em zonas rurais do Brasil, 4 deles já tiveram uma ou mais relações sexuais com animais. Esta prática é responsável por dobrar o risco de cancro no pénis.

O estudo, liderado pelo urologista Stênio de Cássio Zequi, será publicado na proxima edição do Journal of Sexual Medicine. Investigadores isolaram factores que poderiam elevar o risco de cancro e levá-los a uma conclusão errada.

Foram avaliados, para além de sexo com animais, critérios como idade, etnia e idade da primeira relação sexual, bem como histórico de doenças sexualmente transmissíveis, lesões penianas pré-malignas, fimose e circuncisão, número de parceiros sexuais, tabagismo e historial de relações sexuais com prostitutas.

Uma das possíveis explicações para esta associação entre o cancro do pénis e o sexo com animais, de acordo com Stênio, reside no facto de o muco vaginal dos animais ser bastante queratinizado, ou seja, mais duro do que o humano, podendo causar traumas. Outra hipótese é a existência de elementos tóxicos na secreção animal ou de micro-organismos capazes de infectar o ser humano.

O especialista ressalta, no entanto, que estas possíveis causas são apenas especulações e que não é possível afirmar se há um ou mais vírus ou microorganismos específicos envolvidos neste processo.

FONTE: Notícias UOL