Apicultor alentejano provocava picadelas de vespa no pénis, só para lhe chuparem o veneno

Apicultor alentejano provocava picadelas de vespa no pénis, só para lhe chuparem o veneno

E surge mais um caso verdadeiramente insólito, algo provavelmente nunca antes visto. Lourenço Miguel, um apicultor oriundo de Elvas, acabou mesmo por dar entrada no hospital depois de ter sofrido inúmeras picadelas de vespas no seu pénis. O pior de tudo é que era ele a provocar intencionalmente essas mesmas picadas.

Lourenço e a sua mulher, Carla Vara, dedicam-se os dois à apicultura: a criação de abelhas para obtenção de produtos como o mel e o pólen, por exemplo. O problema é que Lourenço também gostava demasiado de ver o seu malaquias a ser sugado…

Com um casamento de 10 anos, a vida sexual de Lourenço Miguel e Carla Vara estava praticamente estagnada, então foi há cerca de três meses que o homem teve uma ideia para apimentar a relação: decidiu que ia começar a provocar picadelas de vespa na sua verga, só para “obrigar” a mulher a sugar-lhe o veneno da gaita.

Assim, ele tratou de tudo: preparou um buraco na gaita no seu fato de apicultor e, como se nada se passasse, enfiou o pénis muito rapidamente num ninho de vespas pela primeira vez, tendo rapidamente sido picado. Depois, gritou à mulher: “chupa, por favor chupa!” – visivelmente em pânico – e Carla, sem saber bem o que fazer, introduziu a sua boca no órgão do marido e sugou-a toda, com o propósito de tirar o veneno.

Tendo alcançado o seu objectivo, Lourenço Miguel tomava esta medida dia sim, dia não, tudo com o intuito de que a sua mulher lhe proporcionasse algum prazer oral. Claro que isto trouxe mazelas e, após muitas picadelas, o seu pénis cedeu e ele teve mesmo de ser levado para o hospital e por pouco que os danos não foram mais graves. A sua mulher, Carla Vara, falou com a imprensa local em relação ao assunto:

“Sinceramente, fico feliz que isto tenha acontecido. Triste pelas lesões penianas dele mas feliz porque eu já estava realmente farta de o chupar. Era muito desgastante e provocava-me aftas na boca. Não percebo como é que as vespas iam sempre parar ao pénis do meu marido…”

Esperemos que Lourenço recupere rápido…


 
Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.