App criada para monitorizar pessoas com coronavírus acaba por revelar traições

Uma app criada para monitorizar pessoas com coronavírus na Coreia do Sul acabou, acidentalmente, por revelar algumas traições, de acordo com o que contou um documentário do Channel 4. A aplicação, desenvolvida por um jovem de 19 anos, é capaz de localizar, com base nos dados dos telemóveis, as pessoas que tenham sido infectadas, dando ao governo a oportunidade de alertar aqueles que tiveram em contacto com elas.



O GPS dos telemóveis indica onde as “pessoas de interesse” estão a ir, analisa dados do cartão de crédito para descobrir quais os estabelecimentos por eles frequentados, por exemplo, e recorre a câmaras de vigilância para saber do paradeiro dos mesmos. No documentário, um dos cientistas disse: “Se o paciente chegou a determinado sítio às 14 horas e saiu às 15 horas, o governo precisa de localizar quem teve em contacto com ele durante esse período de tempo”.

Devido a isso, a app emite um alerta do género: “Homem de 58 anos, bancário, passou por X área, visitou aquele motel e foi ao cinema”. O cientista concluiu: “Eventualmente, alguém acaba por ligar os pontos: ‘espera, eu conheço um bancário de 58 anos que mora nesta região..’. As pessoas estavam em locais onde não deveriam estar, como num motel. Existem relatos de casos de traição”.

O documentário “The Country That Beat The Virus: What Can Britain Learn?” mostrou como a Coreia do Sul se tornou um caso de sucesso no combate à COVID-19, sem necessidade de um período de confinamento. Até agora, a doença matou “apenas” 250 sul-coreanos.

Fonte: Metro