in

Azeiteiro português despedido por usar o carro da empresa em corridas ilegais

António Henrique acabou por perder o seu emprego de uma maneira insólita. A trabalhar numa consultora no norte do país, o homem de 28 anos tinha com ele um carro providenciado pela empresa em questão, que utilizava apenas para fins de trabalho, pensava-se.

Acontece que António também era um grande fã de tuning e de corridas de carros e então veio a descobrir-se que ele fazia parte de um circuito de corridas ilegais na Póvoa do Lanhoso. Foi o início do fim para ele…

António utilizava para as corridas o seu precioso Saxo Cup, até ao fatídico dia em que tinha uma corrida mas não ia ter o carro nesse dia: a sua mulher ia precisar urgentemente do carro para ir à Feira Tradicional de Morcelas e Chouriças, um evento regional que ela seguia religiosamente e não perdia por nada deste mundo.

Sem o seu Saxo Cup, António Henrique teve de recorrer ao único carro que tinha, que era o que a sua empresa lhe tinha fornecido. Para agravar a situação, ele ia competir contra o proclamado “Toretto da Póvoa do Lanhoso”, Jeremias Lima, que era inclusive um dos fundadores da competição.

Acontece que a corrida foi um péssimo momento para Jeremias, que perdeu de uma forma incrível com o seu Fiat Punto 1.1 completamente kitado, não aguentando o poderio do carro potente que António Henrique tinha trazido: Um fantástico Opel Corsa Comercial Ultra Kitado 1.7 TDI M3 CUP:

Frustrado com a situação, o “Toretto da Póvoa do Lanhoso” descobriu através de amigos em comum que António havia competido com o carro da empresa e então decidiu ligar em anónimo à mesma para expor toda a situação, provavelmente ainda com revoltado por ter perdido de forma incrível.

Aos repórteres locais, Jeremias disse:

“Eu não admito que me ganhem. A minha vida é uma corrida e eu nunca abrando, não é à toa que me chamam o ‘Toretto da Póvoa do Lanhoso’. O meu carro corta o vento às fatias e eu não admito este tipo de brincadeiras. Eu sou o Jeremias e eu mando nesta m*rda”.

Quando a António, acabou mesmo por ser despedido da consultora. Foi um péssimo dia para a mulher lhe levar o Saxo Cup…

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.