in

Curdos libertam 3,000 ovelhas que estavam cativas e eram escravas sexuais do Estado Islâmico

Um grupo de guerreiros curdos conseguiu libertar cerca de 3,000 ovelhas e 700 cabras de um esconderijo na cidade de Al-Tabni, na Síria. Foi confirmado que os animais estavam a ser utilizados como escravos sexuais por parte da organização terrorista do Estado Islâmico.

A Peshmerga General Command (PGC) anunciou recentemente que os seus guerreiros libertaram três vilas previamente controladas pelo ISIS através de um ataque apoiado pela força aérea dos Estados Unidos da América. O comandante, Coronel Hemin Hassan, descreveu as condições horríveis em que os animais foram encontrados:

“As ovelhas e as cabras estavam enfiadas em quartos com os colchões todos sujos. Haviam garrafas vazias de lubrificante por toda a parte e uma série de preservativos usados por todos os quartos”.

 

“Este era um dos sítios mais visitados da região – mais de 10,000 militantes do Estado Islâmico vinham aqui todos os dias”, completou.

De acordo com algumas pessoas que foram forçadas a compactuar com tudo aquilo, alguns animais foram mesmo forçados a ter relações sexuais com mais de 100 militantes do ISIS por dia.

É perturbante e triste mas verdade. As organizações dos Direitos dos Animais estimam que são utilizados entre 80,000 e 15,000 animais como escravos sexuais por parte de militantes do Estado Islâmico.

A vasta maioria desses animais são ovelhas e cabras mas já se falaram em casos que envolveram vacas e inclusive galinhas…

FONTE: World News

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.