Depois de perseguição a 115 km/h, condutora justifica-se: “Estava à rasca para cagar”

Uma mulher perseguida pelas autoridades a conduzir a 115 quilómetros por hora dentro de uma localidade acabou a justificar o excesso de velocidade de uma forma muito diferente…

“Estou com muita vontade de fazer cocó”, disse Emily Sindt Owings, de 28 anos, ao ser parada pela polícia na cidade de Enid, em Oklahoma, Estados Unidos.

Abordada pela polícia, Emily não tinha bilhete de identidade e depois de as autoridades terem conseguido aceder aos seus dados, um dos polícias descobriu que a carta de condução da americana havia sido revogada, de acordo com a KARK.

“Porque é que não me deixam ir?”, perguntou Emily.

“Porque a sua carta de condução está suspensa”, respondeu um agente.

“Eu não sabia. Se soubesse, tinha parado de conduzir”, respondeu a americana. Mais tarde, ela desculpou-se e afirmou:

“Por favor, posso ir para casa fazer cocó?”

O seu pedido foi rejeitado pela polícia e a mulher acabou detida. Ao ser levada para a viatura, ela perguntou:

“Posso fazer cocó no seu carro?”

As autoridades encontraram metanfetamina e material para consumo de droga no carro de Emily.

OFERTA 5€ COM O CÓDIGO: GRATIS5 ⤵️