in

Epidemiologista diz que em 2024, o mundo vai experimentar uma “overdose de sexo” com o fim da pandemia

Preparem-se para 2024. É que por essa altura, a sociedade vai experimentar uma overdose de sexo, sacrilégios e esbanjamento. O comportamento desregrado será uma resposta ao final da pandemia, pelo menos de acordo com a visão do epidemiologista social Nicholas Christakis, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Para ele, o hedonismo vai substituir o comportamento mais conservador e o distanciamento social adotados durante a crise do coronavírus.

“Durante as epidemias, a religiosidade aumenta e as pessoas tornam-se mais moderadas, poupam dinheiro e ficam mais cientes dos riscos e bem, estamos a ver tudo isso agora, assim como aconteceu por centenas de anos durante as epidemias”, explicou ao Guardian o especialista, que está a lançar um livro sobre o tema.

Um exemplo dessa guinada comportamental, salientou Christakis, foram os anos 1920, cuja marca liberal, com a incorporações de novos e libertários costumes sociais, foi uma resposta à gripe espanhola, que assolou o mundo em 1918.

Assim, de acordo com ele, “as pessoas irão procurar implacavelmente as interações sociais”, disse Christakis, nomeando a licenciosidade sexual, um reverso da religiosidade e um boom económico como tendências prováveis.