Homem chora na rua depois de ter sido forçado a 36 horas de sexo com ninfomaníaca

Homem chora na rua depois de ter sido forçado a 36 horas de sexo com ninfomaníaca

Um homem foi encontrado pelas autoridades a chorar nas ruas de Munique, na Alemanha, depois de 36 horas de sexo com ninfomaníaca: ele disse à polícia que acredita ter sido vítima da mesma ninfomaníaca alemã que forçou um DJ a ser seu escravo sexual por cinco horas – caso ocorrido no dia 9 de abril, também em Munique.

De acordo com as autoridades, o homem, de origem africana, estava do lado de fora do apartamento da mulher e, exausto após 36 horas de sexo, teria dito: “Eu a conheci-a no autocarro. Ela convidou-me para vir aqui. Foi um inferno. Eu não consigo andar. Por favor, ajudem…”

A mulher, de 47 anos, foi levada ao hospital para observação psiquiátrica. Ela já foi acusada de coerção sexual e privação de liberdade por manter, durante cinco horas, o DJ Dieter S. como escravo sexual.

Dieter havia conhecido a mulher apenas algumas horas antes, num pub no distrito de Ludwigsvorstadt, em Munique. Ele disse ao jornal TZ de Munique que teve que chamar a polícia para resgatá-lo do apartamento dela depois de ela o ter trancado dentro do local, escondendo a chave e obrigando-o a fazer sexo com elarepetidas vezes.

Ele contou que fez sexo consensual com a mulher três vezes na manhã daquele dia. Mas depois das primeiras rodadas consensuais, Dieter disse que queria sair. Ele descobriu que ela havia trancado as portas por dentro e escondido a chave para que ele não pudesse sair. Assim que a mulher adormeceu, Dieter disse que saiu para a varanda e fez uma ligação de emergência para a polícia com o seu telemóvel. A polícia chegou 10 minutos depois.

A mulher abriu a porta para deixar os agentes entrarem e logo fez uma proposta a eles, segundo a polícia: “Ela tentou convencer os polícias a acompanhá-la em ‘actividades relacionadas’ – embora sem sucesso”, escreveu a polícia de Munique em um comunicado à imprensa. A mulher foi levada sob custódia e libertada mais tarde. Dieter disse que abriria um processo por coerção sexual e privação de liberdade contra ela…

Surreal.