in

Homem que conduzia com 3,42g/l de álcool diz que foi devido a desinfectar muitas vezes as mãos com álcool em gel

Pois é caríssimos, o que podemos dizer é que Hugo Dantas, oriundo de Sarilhos Grandes, no Montijo, está longe de ser um exemplo para alguém mas no que toca a inventar desculpas, é um artista. Acontece que mesmo com bares e discotecas fechados, Hugo conseguiu ser apanhado pelas autoridades em excesso de velocidade na sua região e eventualmente, foi parado, para que a polícia pudesse realizar os mesmos procedimentos de sempre.

Visivelmente embriagado e, de acordo com uma agente da autoridade que lidou com ele, “com um bafo a vinho tinto a roçar o insuportável”, eis que Hugo soprou no balão e acusou uns absurdos 3,42g/l de álcool, um valor muito acima do máximo legal permitido. Ao ter sido elucidado pela polícia de que estava a cometer um crime, Hugo explicou: “Eu juro por tudo que não bebi nada. Saí de casa porque queria ter algum descanso da minha mulher e provavelmente só estou a acusar valores tão grandes porque tenho desinfectado muitas vezes as mãos com álcool em gel devido à COVID-19”.

A verdade é que nem a desculpa esfarrapada de Hugo o safou, especialmente depois de as autoridades terem encontrado 3 garrafas de vinho vazias na mala do carro, bem como duas cenouras e um vibrador.

Que se faça justiça.

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.