in

Jovem com mau hálito falece devido ao uso da máscara

Pois é, com o final do estado de emergência e o estado de calamidade imposto atualmente, as coisas têm, de uma forma lenta e controlada, voltado ao normal e assim, a utilização de máscara passou a ser obrigatória em praticamente em todo o lado: seja para entrar num transporte público, para ir cortar o cabelo ou para ir comprar cebolas ao supermercado.

A verdade é que na Moita, tivemos a primeira morte devido à utilização de máscara: Sandro Sandrino, sub-18 do 1°. De Maio Sarilhense, faleceu de forma trágica depois de ter feito uma reacção alérgica… ao seu próprio hálito. Consta-se que o jovem, que se encontrava a tirar um curso profissional de Matraquilhos E Outros Jogos do Género, utilizou uma máscara para ir a um supermercado Lidl comprar chocolate branco e tinha um hálito tão mau que não suportou o próprio cheiro no interior da máscara e teve de ser reencaminhado prontamente para os serviços de emergência, depois de ter mudado de cor no supermercado e de ter caído no chão.

O jovem ainda deu entrada nas urgências mas infelizmente, ninguém pôde fazer nada. A mãe do jovem, em lágrimas, disse à TMTV: “Ele tinha acabado de almoçar e realmente, eu avisei-o para ter cuidado com a quantidade de alhos. Mas aquele rapaz nunca me ouvia…”.

Agora, não se sabe se o óbito do jovem vai ser contabilizado para o número de mortes provocadas pela COVID-19 ou não.

RIP.

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.