in

Mulher dada como morta é salva depois de se ter mexido dentro do saco para cadáveres na funerária

Foi há poucos dias que Gladys Rodríguez Duarte, que sofre de cancro nos ovários, foi levada pelo marido a uma clínica na cidade de Coronel Oviedo, no Paraguai. O quadro da mulher agravou-se e três horas depois, Gladys, de 46 anos, foi dada como morta pelo médico, identificado como Heriberto Vera, que a atendeu.

O marido, Maximino Duarte Ferreira, e a filha, Sandra Duarte, já começavam a preparar o funeral, de acordo com o que reportou o ABC Color. Porém, a história teve uma reviravolta impressionante: os funcionários da funerária para onde o corpo foi levado encontraram Gladys a mexer-se dentro do saco para cadáveres onde tinha sido posta. A descoberta foi feita pouco antes do início da aplicação de formol , utilizado para conservar o corpo.

Gladys foi levada à pressa para um hospital, onde se encontra em estado grave, mas estável. “Ele (Heriberto Vera) achou que ela estivesse morta e entregou-me o corpo nu dela para mim, como se fosse um animal, sem certidão de óbito”, disse o marido à imprensa local. A família apresentou queixa à polícia.

Bizarro.

Fonte: MetroUK