in

Mulher enfrenta pena de prisão por ter gravado vídeo porno no topo de um vulcão sagrado

Uma modelo russa enfrenta uma pena de até dois anos de prisão depois de ter alegadamente participado num filme para adultos filmado no topo de um vulcão sagrado na ilha indonésia de Bali.

O vídeo foi publicado na internet o ano passado e teve cerca de 1,2 milhões de visualizações quando acabou por ser retirado, depois de ter sido descoberto pelos locais.

O vídeo, no qual a mulher realiza vários atos sexuais no papel de guia de montanha, foi desde então retirado de Pornhub, onde tinha sido colocado.

De acordo com o que reportou a Coconuts, o vídeo foi confirmado como tendo sido filmado num trilho de caminhadas do Monte Batur.

Relativamente a este tópico, o chefe da esquadra de Bangli I Gusti Agung Dhana Aryawan disse: “O nosso oficial encontrou o local, especificamente ao longo do trilho de caminhadas do Monte Batur, um pouco acima do Templo Pasar Agung. Estamos a coordenar com a imigração para descobrir se as pessoas em questão ainda se encontram ou não em Bali”.

 

Embora seja bastante provável que já não estejam na Indonésia, dado que a mulher em questão é russa, se se descobrir que ainda se encontram no país, poderão ser acusadas de atentado ao pudor ao abrigo do código penal indonésio (KUHP).

Se forem consideradas culpadas disso, podem enfrentar uma pena máxima de até dois anos e oito meses de prisão.

Este último incidente surge apenas duas semanas depois de um grupo de modelos ter sido banido do Dubai depois de terem posado nus numa varanda. O grupo de mulheres ucranianas foi deportado depois de passar nove dias na prisão por causa da acrobacia. Uma das mulheres, Yulia Ulyanochkina, de 19 anos de idade, disse: “Fomos todos proibidos de entrar nos países do Golfo durante cinco anos”.

O que dizer?