Mulher faz "scan" da sua "patareca" e imprime um caiaque em 3D com o formato da mesma

Mulher faz “scan” da sua “patareca” e imprime um caiaque em 3D com o formato da mesma

Esta é a artista japonesa Megumi Igarashi. Atualmente, ela encontra-se metida em grandes problemas com a justiça, tudo por ter decidido criar um caiaque, com recurso a uma impressora 3D, com o formato da sua vagina.

Por ter tido esta “brilhante” ideia, o governo concluiu que ela violou a lei “Waisetsu Butsu Hanpu To”, relacionada com a distribuição de objectos obscenos. O Artigo 175 do código penal japonês diz que “uma pessoa que distribuia, venda ou mostre em público um objeto obsceno, poderá ficar na prisão até dois anos ou apanhar uma multa”, sendo que o mesmo se aplica a quem comercialize objetos do mesmo tipo…

Igarashi disse não ter feito nada quando se viu obrigada a falar em tribunal e diz que não fez nada de errado ao ter providenciado os dados necessários para fazer uma impressão tridimensional de um caiaque:

“Estou inocente porque nem a informação dos genitais femininos, nem a arte em formato de genitália constitui algo de obsceno”. A verdade é que a justiça não acha o mesmo.

O que achas tu?