in

Paciente de quimioterapia espancado após ter sido confundido com um skinhead

Um homem de 37 anos, que se encontrava a fazer quimioterapia num hospital, foi completamente espancado por alguns elementos supostamente da máfia, tudo enquanto a mãe o transportava para fora do hospital numa cadeira de rodas.

Derrick Johnson, de 37 anos de idade, havia sido diagnosticado com um cancro no cérebro e encontrava-se na sua terceira sessão de quimioterapia no Providence Cancer Center, em Portland, quando foi atacado. Momentos depois de sair do hospital, ele e a sua mãe foram separados por alegados membros da máfia, todos vestidos de preto. Eles atiraram Derrick para o chão e procederam para o ataque…

“Eles rodearam-me e começaram a gritar KKK, chamando-me de nazi e de apoiante do Donald Trump. Chegaram mesmo a dizer-me para eu voltar para a Alemanha”, explicou a vítima aos repórteres, visivelmente assustado com tudo aquilo.

“Eu insisti com eles dizendo que votei na Hillary e eventualmente um deles deu-me um pontapé e disse-me que eu devia ter votado no Bernie Sanders”, completou.

Johnson explicou mesmo que lhe chamaram nomes como “branco de m3rda” e que o culparam “por tudo de mau que aconteceu à raça humana, desde a escravatura até ao holocausto”…

Surreal.

FONTE: World News

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.

 

OFERTA 5€ COM O CÓDIGO: GRATIS5 ⤵️