in

Papagaio repete às autoridades as últimas palavras de mulher assassinada

Este assassinato chamou atenção por uma particularidade: a vítima, Elizabeth Toledo, de 46 anos, tinha um papagaio que repetiu as suas últimas palavras logo antes de ser morta. O polícia enviado para atender à situação acabou por escutar a frase vinda do papagaio: “Ai, não, por favor, solta-me!”.

Agora o testemunho dele será levado em conta no julgamento que está para acontecer na cidade de San Fernando, na província de Buenos Aires. Ela foi violada, espancada e morta por estrangulamento dentro de sua casa no dia 30 de dezembro de 2018 e as autoridades logo identificaram como suspeitos os três homens que moravam na casa da vítima e tinham quartos alugados. Ainda que um tenha sido descartado, os outros dois vão mesmo ser julgados.

Consta-se que o papagaio já havia indicado outro episódio de violência e os vizinhos da vítima afirmam que uma vez ouviram-no repetir a frase: “Porque é que me bateste?”. A confirmar-se, eles podem mesmo apanhar prisão perpétua.

RIP.