in

Professor sem internet desloca-se todos os dias a um Cyber Café para ver pornografia

A pandemia afetou toda a gente e infelizmente, nem todos têm as condições que gostariam de ter para realizar o teletrabalho de forma devida.

Hoje, trazemos a história do professor Kim Pu Nheta, um asiático residente em Fornos de Algodres, na Guarda, que infelizmente não tem computador ou internet em casa e sendo professor, necessita de se deslocar diariamente ao único Cyber Café da região, a 10 quilómetros de sua casa, para poder dar aulas.

Até aqui tudo bem, mas o professor tem dado que falar porque para além das aulas que leciona através da plataforma Zoom, consta-se que ele também o usa o computador do Cyber Café em questão para… ver pornografia.

Pu Nheta já foi avisado várias vezes de que não pode ver aquele tipo de conteúdo no café em questão, mas ele argumenta que “está de fones e está a pagar por um serviço”, alegando que “não há nenhuma regra explícita que me impeça de ver conteúdos do meu agrado na internet”.

Consta-se que os donos do Cyber Café já desistiram de fazer o que quer que seja porque bem, Kim é um cliente habitual e é dos únicos que tem conseguido trazer alguma forma de rendimento para o lado deles.

Não deixa de ser uma situação muito caricata.

O que dizer?

Nota: Artigo fictício/satírico/humorístico. A informação aqui veiculada não corresponde à realidade, é meramente ficcional.