Ratos “tarados sexuais” morrem após sessões de sexo com a duração de 14 horas diárias


Um pequeno rato oriundo da Austrália suicidou-se depois de sessões de sexo absurdas de 14 horas diárias. É justo dizer que este rato vivia praticamente para copular com todas as fêmeas que conseguisse até que o seu limitado reservatório de esperma “secou” e o seu corpo começou a falhar…


Esta espécie vive maioritariamente na Austrália e na Tasmânia e só conseguem manter as suas escapadelas sexuais constantes durante duas ou três semanas antes do sue pelo cair, do seu sistema imunitário falhar e de começarem a sofrer com hemorragias internas. O que faz estes animais optarem por uma morte terrível derivada do excesso de sexo tem sido investigado por cientistas durante décadas.

Estas criaturas vivem, em média, por apenas um ano mas só nas últimas semanas de vida é que decidem começar a ter estas sessões absurdas de sexo.